Artesanato, arte e criatividade!

arte_1Artesanato é o próprio trabalho manual ou a produção de um artesão (artesan + ato), é o artista que exerce uma atividade produtiva de caráter individual.

É tradicionalmente a produção de caráter familiar, na qual o produtor (artesão) possui os meios de produção (sendo o proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família em sua própria casa, realizando todas as etapas do processo,  desde o preparo da matéria-prima até o acabamento final, não havendo divisão do trabalho ou especialização para a confecção de algum produto.

De acordo com o Cunha (2007), artesão é o indivíduo que exerce  em geral por conta própria uma arte, um ofício manual, sendo que a palavra originou-se do latim artificium, do vocábulo  artífice, que significa processo ou meio para se obter um artefato ou um objeto artístico.

O sentido de arte pode ser descrito como: “Atividade que supõe a criação de sensações ou se estados de espírito de caráter estético, carregados de vivência pessoal e profunda, podendo suscitar em outrem o desejo  de prolongamento ou renovação; A capacidade criadora do artista  de expressar  ou transmitir tais sensações  ou sentimentos.”

Desta forma, o artesanato está estritamente ligado à arte e fazer arte está ligada à criatividade.  Ser criativo  é estar conectado com seu potencial,  é escutar o coração e realizar feitos que sejam inspiradores, que fazem sentido a cada um e que proporcione uma forma diferente de olhar a vida.

As crianças  com um ego ainda estruturando-se sem padrões pré-determinados, são  mais abertas ao inconsciente, às fantasia e ao imaginário, e portanto  mais criativas. Conectadas ao novo e ao inédito, estão próximas de suas verdades interiores.

“[…] quando nascemos, temos um potencial quase ilimitado de talentos. Crianças, podemos  experimentar de tudo,  da musica à matemática, da invenção de objetos  às histórias fantásticas. Tudo parece original, novinho em folha. Até os 5 anos, a criança não foi devidamente formada pela cultura….Mas  a porca torce o rabo a partir dos  7 anos ( não por acaso a idade em que grande parte das crianças ingressa na escola). A partir desse momento os destinos dos pequenos  ficam cada vez mais ligados às realidades  e opções disponíveis  em sua sociedade.”

Ser criativo significa sentir, olhar e fazer diferente, isto é, fora dos padrões pré-estabelecidos. “Quando pinto,não sei o que estou fazendo.” Declarou Pollock, certa vez.      ( 1912-1956).

De acordo com Botton (1990), estamos o tempo todo tentando ser quem não somos, pois nascemos  espontâneos, agindo conforme nossas necessidades interiores, somos ricos de fantasias e temos muitas idéias dissociadas da realidade, porém na medida em que crescemos, vamos aprendendo sobre a realidade externa, fato extremamente importante para nossa sobrevivência e convívio social, mas  na medida em que estas realidades tomam conta de nós, passam a ser cerceadoras de nossa originalidade e criatividade, pois agimos no automático e bloqueamos a possibilidade de “deixar surgir” de dentro de nós um comportamento novo, pessoal e original. “As imposições de dentro e de fora de nós mesmos vão os impedindo de liberar espontaneamente nossas fantasias e relaciona-las favoravelmente  com a realidade.” 

A origem do brinquedo

origem brinq._1Inicialmente os brinquedos se originaram do artesanato, isto é, eram feitos  manualmente, muitas vezes pelas próprias crianças, como as pipas, bolas de crina de  cavalo, bonecas de barro ou pano, ou ainda pelos  familiares da criança, de acordo com o ofício que exercia, assim o   padeiro fazia para seu filho bonecos de pão e o marceneiro fazia carrinhos de madeira, por exemplo.

É certo  que – como toda prática artesanal – a atividade de fazer brinquedo com as próprias mãos tem raízes em sociedades agrárias. Assim, quando um artesão hoje faz um brinquedo, tanto como forma de trabalho como em regime de curtição lúdica, ele o faz não só com base na sua experiência prática  individual. Além dela, há uma sabedoria acumulada da atividade artesanal, que é fruto do trabalho e do conhecimento prático,  deixado pelas gerações que nos precederam. Há portanto,  elementos de conexão  entre a atividade artesanal e o passado.

Atualmente há desde o brinquedo feito pelo artesão profissional altamente qualificado com a marca pessoal e valor de sua arte criativa,  fazendo de seu trabalho um modo de sustento e de expressão cultural, até outros feitos em escala semi-industrial designado como industrianato, isto é, uma produção manufaturada de brinquedos dominada pela uniformidade de cores e modelos, padronização de formas e materiais e repetição para atender a demanda do mercado.